• Helena - 50 Livros

RESENHA de "Serpentário", de Felipe Castilho


SINOPSE DE ORELHA Todo ano, Caroline, Mariana e Hélio costumavam deixar a capital paulista para encontrar Paulo, um jovem habituado à simples vida caiçara. No entanto, a amizade construída nas areias do litoral sofreu abalos sísmicos no Réveillon de 1999, quando algo tão inquietante quanto o bug do milênio abriu caminho para uma misteriosa ilha que despontava no horizonte, e explorá-la talvez não tenha sido a melhor decisão.


Sobreviver à Ilha das Cobras tem um preço. O arquipélago é um ambiente hostil, tomado por víboras, e esconde segredos tão perturbadores quanto seus habitantes. Mais do que um equívoco darwiniano ou uma lenda popular, a ilha praticamente destruiu a vida deles. Entre memórias e fatos fragmentados, o que aconteceu naquela fatídica noite se tornou um mistério. Mas de algumas coisas eles se lembram perfeitamente: uma enorme e ameaçadora serpente, além de uma pessoa sendo entregue ao ninho da víbora, um sacrifício sem chance de recusa.


Anos depois, Caroline é confrontada com um de seus piores pesadelos: a pessoa que eles abandonaram está viva. Um fantasma do passado que surge para fazer suas certezas caírem por terra. Então, ela decide reunir os amigos para entender o que aconteceu. E talvez o encontro seja parte de algo maior... e maligno. Em Serpentário, Felipe Castilho mostra todo o seu talento ao mesclar referências do folclore e da mitologia a elementos da cultura pop, da ficção científica e do horror.

SOBRE O AUTOR

FELIPE CASTILHO é autor de livros de fantasia, além de roteirista. Conhecido pela série O Legado Folclórico, que une mitologia brasileira ao mundo dos videogames, foi indicado ao Prêmio Jabuti 2017 pelo quadrinho Savana de Pedra, criado em parceria com Tainan Rocha e Wagner William. Também escreveu Ordem Vermelha: Filhos da Degradação, seu primeiro livro publicado pela Intrínseca, ambientado no universo cocriado junto a Rodrigo Bastos Didier e Victor Hugo Souza. Mora em São Paulo, onde gosta de visitar lugares chiques usando chinelo.

NOTAS ENREDO: 5 PERSONAGENS: 5 DESENVOLVIMENTO E ESCRITA: 5 INÍCIO: 5 MEIO: 5 FIM: 5 NOTA FINAL: 5 de 5 LIVRO BOM PARA: ficar bugado da cabeça MINHA RESENHA


Simplesmente adorei essa leitura. Ainda sinto que não entendi metade do que autor quis passar, mas acho que era essa a intenção mesmo. A atmosfera confusa da leitura fez ela ser bem mais imersiva e até sensorial, me transportando a todas as cenas e sentindo arrepios toda vez que algo estranho acontecia. O estilo da história em si me lembrou muito “O Caso da Mansão Deböen”, mas achei que esse aqui trouxe mais alívios cômicos e referências brasileiras e de cultura pop, deixando mais fácil o leitor aproveitar a história. Foi uma leitura bem bizarra, mas que eu recomendo bastante para quem ama terror e aquela fantasia bem louca, tipicamente perturbada.

COMPRO, BAIXO, PEGO EMPRESTADO OU PASSO LOTADO?

Li ele pelo ebook e foi uma leitura bem boa. Mas confesso que as partes que são contadas como memórias ficam um pouco confusas, porque a fonte muda, mas ainda fica grudado com os capítulos. Acho que na versão impressa ficaria mais fácil de se situar em relação a isso. ONDE COMPRAR Amazon.com

Quer participar do projeto? Então poste uma foto com o seu Serpentário com a hashtag #blog50livros que adorarei ver. E já fez resenha sobre ele no Skoob ou GoodReads? Então me envie um email para contato@50livros.com que vou ler com muito amor! ;-)

#livro #terror #fantasia #felipecastilho #intrinseca

© 2017 por 50 Livros. Orgulhosamente criado com Wix.com