© 2017 por 50 Livros. Orgulhosamente criado com Wix.com

De mala e cuia - Como preparei minha viagem - Las Vegas (EUA)

E aqui começa mais um tipo de post: os de viagem. Eu sou uma apaixonada por viajar, seja para lugares novos ou para locais que já conheço. Então, nada mais justo do que mostrar como eu monto minha viagem, minha mala e em como eu curto a viagem em si.

 

 

SOBRE O DESTINO

 

 

 

Nunca fui a Las Vegas. Na verdade, nos Estados Unidos, só fui a Nova York. O plano inicial era irmos a Miami e Orlando, para aproveitar as lojas e os parques, já que o hotel e o avião para lá são bem mais em conta que qualquer outro destino norte-americano. Só que em tudo no mundo há uma pegadinha: a entrada dos parques é muito desproporcional, fiquei chocada a ponto de desistir do destino.

 

Depois pensamos em fazer um tour pela Itália. Para lá eu já fui e é uma viagem deliciosa para quem gosta de arte e arquitetura. Então era uma viagem com propósito diferente: mais cultural e nada consumista.

 

Só que aconteceu uma coisa muito interessante. Eu e minha mãe sempre escutamos BandNews FM e de manhã toda sexta-feira um dos organizadores da página Viajando na sua Viagem fala sobre algum destino e tira dúvidas de ouvintes acerca de destinos. E lá por maio ele falou sobre Las Vegas, dizendo que era um destino mais barato que Nova York, mas que tem inúmeras atrações e é um ótimo polo de compras. O que posso dizer? Foi amor a primeira vista.

 

AS DATAS

 

Decidimos ir em bando, ou seja, metade da população aqui de casa: eu, minha mãe, minha madrinha e meu primo (que é afilhado da minha mãe). Já tínhamos ido nessa formação para NY e deu super certo. O único problema é que são 4 pessoas com 4 agendas diferentes, então achar uma data é sempre algo tenso. Minha mãe não consegue tirar férias em alta temporada e meu primo ainda está no Ensino Médio, então férias só em janeiro ou julho. O único jeito foi achar um feriado grandão no segundo semestre do ano. Decidimos ir no feriado de Finados, para que ficasse tolerável para todo mundo.

 

Aí foi o suplício: datas de embarque e desembarque e dia de check-in e check-out. Vamos explicar: a data de embarque é a que você sai do Brasil; a de check-in é o dia em que você chega no hotel (normalmente um dia depois da data de embarque); a de check-out é o dia que você dá adeus a cidade que você está visitando; por último, a de desembarque, que é a data que você pisa dentro da sua casa no Brasil (normalmente um dia depois da data de check-out). No final, são X dias de passeio + 2 dias de aéreo. Então, se você só pode dispor de 5 dias de viagem, no final você só tem 3 dias de passeio, pois 2 são só em aviões e aeroportos.

 

De início de conversa, pesquisando de maneira displicente, percebi que 5 diárias estava saindo quase o mesmo valor que 4 diárias no hotel. Então, valeria a pena ficar um dia a mais e, consequentemente, aproveitando mais a cidade. No final das contas, seriam 7 dias reservados para as férias internacionais.

 

Para decidir direitinho as datas no calendário, aí é sempre necessário muita paciência. Usei o Google Flights para me ajudar. Como precisava do feriado do dia 02/11 integrado, fui colocando da maneira mais tosca possível: saindo do Brasil dia 26/10, chegando ao Brasil dia 02/11; saindo do Brasil dia 27/10, chegando ao Brasil dia 03/11; saindo do Brasil dia 28/10, chegando ao Brasil dia 04/11; e saindo do Brasil dia 29/10, chegando ao Brasil dia 05/11.

 

 

 

Fazendo essas simulações, foi possível ver qual combinação teria o aéreo mais barato. Para a viagem de NY já tinha feito isso, mas confesso que para Las Vegas era mais difícil, pois não há voos diretos Brasil-Vegas, seria preciso fazer algumas conexões, podendo levar a viagem de avião durar até 20 horas. Chocante, né? Mas aí foi só pesar EM CONJUNTO os prós e contras e encontrar o nosso voo ideal. E o decidido foi de 27/10 a 03/11.

 

COMO COMPREI

 

Já no próprio Google Flights já dá para ver o valor nos sites das companhias aéreas e ver se vale mais a pena comprar por eles ou por alguma agência online.

 

Muita gente gosta de falar mal das agências online, como a Decolar.com, por conta das taxas que eles cobram. Mas, gente, é o trabalho deles! Vamos dar mais valor ao trabalho deles, ainda mais que no site das companhias aéreas raramente há parcelamentos de mais de 6 vezes. Já nas agências, você pode dividir em até 12 vezes. Então, fica a seu critério: pagar uma taxa para parcelar em mais vezes ou pagar mais barato em menos vezes.

 

Depois de saber as datas e mais ou menos em qual companhia aérea nós iríamos, joguei as datas e locais no SkyScanner, um buscador de ofertas que inclui não só as companhias aéreas como as agências. No final das contas, o que melhor se encaixava foi a Decolar.com, voando GOL+AeroMexico.

 

 

 

O VOO

 

Acabamos escolhendo a AeroMexico não só pelo preço, mas também pelo tempo de voo. Por mais que enfrentaremos 2 conexões (GIG-GRU/GRU-MEX/MEX-LAS), será mais ou menos 14 horas de ida e 16 horas de volta, bem melhor que as 22 horas de algumas companhias aéreas.

 

 

 

Nunca viajei de AeroMexico, então só vou poder falar dela em outro post, quando já tiver viajado, ok? ;-)

 

O HOTEL

 

O hotel foi um caso a parte. É fato consumado que qualquer hotel que você comprar que se localize na Strip (rua mais famosa de Vegas) será um bom negócio. São todos hotéis-casino, dispondo de uma infra-estrutura absurda, além de terem atrações próprias dentro de suas próprias dependências. Então, fomos pelo preço mesmo.

 

Dois hotéis estavam andando juntinhos na linha de chegada, sendo eles o Luxor Hotel e o Excalibur Hotel, um do lado do outro na Strip. O preço era muito similar, mas acabamos escolhendo o Luxor porque era mais interessante, já que um dos prédios dele é uma pirâmide. hahahahahah

 

 Excalibur Hotel

 Luxor Hotel

 

Vou falar mais dele quando chegar de viagem também.

 

PASSEIOS

 

Las Vegas tem muita coisa para fazer. Não falarei logo de cara sobre os passeios que escolhemos, vou falar nos posts sobre os dias em que estivermos lá.

 

Contudo, vale a pena falar um pouco da minha opinião. Montei um calendário com tudo que a gente gostaria de fazer em Vegas e quando isso seria possível. Depois disso, vimos quais desses passeios eram viáveis monetariamente falando. Aí escolhemos quais e em que dias realmente o faríamos. Agora começa minha opinião: prefiro comprar meus passeios todos daqui. Não, não são aqueles passeios de agência, são atrações que gostaríamos de visitar e gosto de comprar as entradas todas daqui, em sites brasileiros ou gringos mesmo.

 

Há muitas vantagens de fazer isso, ainda mais quando se trata de viagens ao EUA. A gente acaba gastando muito em lojas, mesmo que você não seja uma pessoa consumista, pois eles ofertam coisas que compramos direto aqui no Brasil, mas que lá acabamos pagando muito menos (menos impostos, mais promoções nas trocas de coleção, cupons-desconto, etc). Então você acaba gastando mais dinheiro que esperava. Para não haver estresse e acabar não indo em determinado lugar porque o dinheiro ficou subitamente desaparecido, prefiro já separar essa grana antecipadamente, que aí a gente só gasta em lojas aquilo que a gente já estava disposto a gastar mesmo.

 

Só que isso é muito subjetivo. Tem gente que vai achar as taxas de conveniência extorsivas, tem gente que compra as entradas e chegando no destino acaba não querendo mais ir, tem gente que gosta de fazer o que o coração manda quando chega no destino... Como falei antes, isso é muito subjetivo. A gente aqui do bando gostamos de uma agenda fechada, com tudo planejado, raramente desistimos de um passeio (na verdade, desistimos de um passeio quando não compramos o ingresso e chegamos lá no lugar e a fila era de chorar) e preferimos setorizar a moeda estrangeira para coisinhas que queremos comprar (lembrancinhas e tal), transporte público e emergências. Então, fica a seu critério mesmo: veja que tipo de viajante você é e tome essa decisão de acordo com o que mais combina com o seu perfil.

 

SEGURO VIAGEM

 

Isso é imprescindível. Sabe aquelas coisas que a gente compra torcendo para não precisar usar? Então, essa é uma delas. Ainda mais para os EUA, onde é um ótimo indício para a alfândega de que você é realmente um turista e não um imigrante ilegal. Mas não se preocupem, ainda farei um post sobre tudo a respeito do visto americano, para ficar bem explicadinho.

 

Eu sempre acabo comprando o mais baratinho da Travel Ace, uma empresa que gosto muito e que sempre foi solícita com tudo, além do valor do serviço ser excelente.

 

 

E aí, curtiram o post? Espero que sim, porque ainda tem muitos da série De Mala e Cuia para aparecer aqui! Hahahahahahahaha... Já foi a Las Vegas? Se sim, posta uma foto sua de Las Vegas no Instagram com a #blog50livros que vou adorar ver e curtir.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Some elements on this page did not load. Refresh your site & try again.

Please reload

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • Google+ - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Pinterest - Black Circle
  • Instagram - Black Circle