© 2017 por 50 Livros. Orgulhosamente criado com Wix.com

RESENHA de "Harry Potter e a Criança Amaldiçoada", de J. K. Rowling

 

 

SINOPSE DE ORELHA

 

Sempre foi difícil ser Harry Potter e não é mais fácil agora que ele é um sobrecarregado funcionário do Ministério da Magia,marido e pai de três crianças em idade escolar. Enquanto Harry lida com um passado que se recusa a ficar para trás, seu filho mais novo, Alvo, deve lutar com o peso de um legado de família que ele nunca quis. À medida que passado e presente se fundem de forma ameaçadora, ambos, pai e filho, aprendem uma incômoda verdade: às vezes as trevas vêm de lugares inesperados.

 

Ansiosamente aguardado por milhões de fãs, o oitavo livro da saga de maior sucesso de todos os tempos chega às livrarias de todo o Brasil no dia 31 de outubro, em edições brochura e capa dura. Harry Potter e a criança amaldiçoada é a edição impressa do roteiro de ensaio da peça escrita por J.K. Rowling em parceria com Jack Thorne e John Tiffany, que está em cartaz em Londres e sepassa 19 anos após os acontecimentos narrados em Harry Potter e as Relíquias da Morte.

 

SOBRE A AUTORA

 

A escritora britânica Joanne Kathleen Rowling nasceu na cidade de Yate, nas proximidades de Bristol, na Inglaterra, em 31 de julho de 1965. Ela se tornaria célebre pela criação do bruxinho Harry Potter, que lhe renderia sete volumes de uma série premiada e aceita quase unanimemente pela crítica e pelo público.

Desde cedo a autora cultivava o gosto da leitura, e vários escritores despertaram na menina o desejo de ser uma escritora. Durante a infância ela nutria um amor incondicional por seus avós paternos, seus prediletos. Sua avó, Kathleen Ada Bulgen Rowling faleceu quando a garota tinha apenas 9 anos. Em sua homenagem, Joanne adota seu nome, representado pela letra ‘K’, para completar seu nome artístico – J.K. Rowling.

 

Atendendo aos apelos de seus genitores, a criadora de Harry Potter cursou Língua e Literatura Francesa na Universidade de Exeter, ao invés do curso de língua inglesa que pretendia fazer. Após sua graduação, ela deu sequência à formação na capital francesa, aí permanecendo durante um ano. Voltando à Inglaterra, começou a trabalhar na Anistia Internacional em Londres, como secretária bilingue e investigadora. Ansiando por concretizar seu sonho de escrever, deixou o cargo e foi para Portugal no ano de 1991.

 

Neste país ela dava aulas de Inglês à tarde e à noite e, pela manhã, costumava escrever nas mesas dos cafés do Porto, cidade em que permaneceu por cinco anos. Neste ritmo ela deu início a sua trajetória literária, mais especificamente à criação de sua saga. Ela preservaria a rotina de escrever nos bares, mas seu livro, o primeiro Harry Potter, só foi concluído depois que ela se divorciou do marido, o português Jorge Arantes, e seguiu com sua primogênita para Edimburgo, na Escócia.

 

Foi uma longa jornada até que Harry Potter e a Pedra Filosofal fosse aceito pelo mercado editorial. A autora teve que realizar um ‘tour’ por diversas editoras, e em 1994 experimentou a miséria e um estado depressivo, até a Bloomsbury decidir lançar sua primeira obra como mais uma na galeria da literatura infantil. Quando enfim ele foi publicado, em junho de 1997, Joanne ministrava aulas de francês. O sucesso foi instantâneo, vieram os primeiros prêmios no campo dos livros para crianças. Ela conquistou até mesmo a premiação de Livro Infantil do Ano, concedido pelo British Book Awards.

 

Ao negociar seus direitos como autora para os Estados Unidos, por cento e cinco mil dólares, valor inigualável para uma escritora em início de carreira, ela pode deixar as aulas e se devotar integralmente ao restante da saga Harry Potter. Sua obra prosseguiu a trajetória ascendente, mantendo-se sempre nos primeiros lugares entre os livros mais vendidos, tanto na categoria infantil, quanto na adulta.

 

Os fãs cresceram a cada volume, especialmente quando a saga foi convertida para as telas dos cinemas, em 2001, ampliando ainda mais as vendas dos livros. A ansiedade dos leitores era tanta, que Rowling teve que ceder as suas pressões e antecipar o lançamento do segundo volume, Harry Potter e a Câmara Secreta, de setembro para junho de 1999.

 

A terceira parte, Harry Potter e o Prisioneiro de Azkabam, publicada neste mesmo ano, em setembro, conquistou ainda mais prêmios e um sucesso ainda maior. Em 2000 Rowling publicou Harry Potter e o Cálice de Fogo e negociou seus direitos literários com uma famosa empresa cinematográfica, cedendo assim os primeiros volumes para lançamento nos cinemas.

 

Depois vieram Harry Potter e a Ordem da Fênix, em 2003, Harry Potter e o Enigma do Príncipe, em 2005, e Harry Potter e as Relíquias da Morte, em 2007. Hoje ela é a escritora mais rica e poderosa do Planeta, e pode assim converter sua fortuna no auxílio à luta contra enfermidades, a desigualdade e a miséria do mundo. Sua obra já foi traduzida para sessenta e quatro idiomas, e a revista Forbes a considerou, em 2004, a primeira criadora literária a conquistar bilhões de dólares com esta atividade.

 

Em 2001 ela se casou novamente, com o anestesista Neil Michael Murray, com quem teve dois filhos, David e Mackenzie, além de Jessica, do primeiro matrimônio. Em fevereiro de 2009, ela obteve das mãos de Nicolas Sarkozy, presidente francês, a divisa de Cavaleiro da Ordem da Legião de Honra.

 

NOTAS

 

ENREDO: 4

PERSONAGENS: 5

DESENVOLVIMENTO E ESCRITA: 5

INÍCIO: 5

MEIO: 5

FIM: 5

 

NOTA FINAL: 4,8 de 5

 

LIVRO BOM PARA: voltar ao mundo dos bruxos

 

MINHA RESENHA

 

 

 

Nunca imaginei que voltar para o mundo de Harry Potter seria tão delicioso, sério mesmo. Juro que fiquei um pouco receosa de ler esse livro, já que a galera estava tão dividida, mas valeu tanto a pena...

 

Já vou logo avisando que esse livro é a transcrição da peça homônima escrita pela Senhora da Magia, J. K. Rowling, então não espere aguçadas elucubrações psicológicas, já que peças teatrais tem um ritmo muito diferente de livros comuns. É necessário construir um ambiente realista e, ao mesmo tempo, entreter o público. Nesse caso, preferiu-se cenas mais movimentadas e isso deu um ritmo diferente dos últimos livros da saga.

 

A gente que é fã sabe que a escrita da autora foi evoluindo e crescendo junto com o próprio Harry. Então, quanto mais velho Potter ficava, mais densa e inteligente ficava a leitura. Mas isso, no teatro, foi diferente. Vamos lembrar que em Criança Amaldiçoada, ela ainda era baby nesse formato. Sem pensar, a gente acaba esperando um Harry maduro, convicto e, finalmente, em paz, mas isso não acontece, já que pouco pode-se ver do que se passava na cabeça do Menino Que Sobreviveu. Desse modo, aposto que Animais Fantásticos e Onde Habitam deve ser um roteiro muito mais evoluído (tipo Pokemon mesmo. hehehehehe)

 

Mas a única nota diferente de 5 que dei nessa resenha não foi por causa disso. A verdade é que achei o mote da história meio suspeito: um filho de Voldemort? Espera aí, o homem até o último livro não tinha nariz, não consigo imaginar ele reproduzindo. Não é novidade para ninguém que Rowling sempre buscou inspiração em diversos clássicos de fantasia, como Senhor dos Anéis. A meu ver, esse enredo meio dramático ficou meio puxado para o hype de Game of Thrones, sabe? Isso me deixou meio desgostosa.

 

Além disso, reviver Voldemort como vilão fica chato, já estava esperando um vilão realmente novo, cheio de planos a cumprir. Ler ainda sentindo aquela sombra do Lorde das Trevas foi chato, confesso. Mas também foi só isso. De resto, amei tudo.

 

Pensando melhor nisso... Quase dei nota 4 para personagens também, porque não levei muita fé no trio de bruxos mais famosos do mundo. Parece que o Rony mudou um pouco de personalidade e quase achei que a parte interessante do Harry era o Voldemort, de tão 

chato que ele está livre da Horcrux. A Hermione e a Gina ficaram meio apagadas da trama. Mas fiz questão de dar nota 5 para personagens por conta da dupla principal: Alvo e Escórpio. Tornaram-se uma equipe fora do comum, cheios de malícia e diversão, dando um novo espírito tanto para a Sonserina quanto para a Grinfinória. Foram um deleite, admito.

 

A história flui muito bem e a peça me prendeu do início ao fim, sendo uma leitura bem dinâmica. Contudo, confesso que não queria que acabasse. Estava tudo tão maravilhoso, vendo Hogwarts e o mundo dos bruxos voltarem tão facilmente na minha vida que não quero me despedir deles ainda. Então, acho bom essa mulher escrever mais uns livros ou vou na casa dela fazer protesto. Ainda bem que ainda tem Animais Fantásticos para me consolar...

 

COMPRO, BAIXO, PEGO EMPRESTADO OU PASSO LOTADO?

 

Li ele na versão e-book, porque quando fui comprar só tinha na versão capa dura, então estava meio salgado para o meu bolso, infelizmente. Quero tê-lo na versão impressa ainda, já que tenho todos os volumes da saga nesse formato, mas a diagramação para e-book está impecável, li muito rapidinho e foi delicioso tanto quanto. Então... fica a seu critério. 

 

ONDE COMPRAR

 

Amazon.com

Submarino.com.br

Quer participar do projeto? Então poste uma foto com seu Harry Potter e a Criança Amaldiçoada com a hashtag #blog50livros que adorarei ver. E já fez resenha sobre ele no Skoob? Então me envie um email para contato@50livros.com que vou ler com muito amor! ;-)

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Some elements on this page did not load. Refresh your site & try again.

Please reload

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • Google+ - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Pinterest - Black Circle
  • Instagram - Black Circle