© 2017 por 50 Livros. Orgulhosamente criado com Wix.com

RESENHA de "Todo Dia", de David Levithan

 

SINOPSE DE ORELHA

 

Toda manhã, A acorda em um corpo diferente, em uma vida diferente. Não há qualquer aviso sobre quem será ou onde estará em seguida. De menina a menino, rebelde a certinho, tímido a popular, saudável a doente; A precisa se adaptar.


Já se acostumou com isso e até criou algumas regras para si. Primeira: nunca se apegar; segunda: jamais interferir. E tudo corre bem... até que A desperta no corpo de Justin e conhece sua namorada, Rhiannon.


A partir desse momento, as regras pelas quais tem vivido não fazem mais sentido. Porque, finalmente, A encontrou alguém com quem quer ficar; dia após dia, todo dia. Mas como esperar que uma pessoa que sempre viveu uma vida normal possa entender a realidade de A? Ou até mesmo acreditar nela?


Enquanto lutam para se reencontrar a cada 24 horas, ambos precisam enfrentar seus próprios demônios, superar sulas limitações e redefinir suas prioridades. Rhiannon conseguirá ficar com alguém que muda a cada dia? E até onde A acha justo (ou ético) interferir na vida de quem habita? Mas, principalmente, o amor pode mesmo vencer qualquer barreira?

 

SOBRE O AUTOR

 

 

David Levithan (nascido em 07 de setembro de 1972, Short Hills, Nova Jersey) é um editor de ficção jovem americano adulto e autor premiado. Ele teve seu primeiro livro, Boy Meets Boy, publicado em 2003. Ele tem escrito inúmeras obras com personagens gays do sexo masculino, principalmente Boy Meets Boy e Nick and Norah's Infinite Playlist.

Aos 19 anos, Levithan recebeu um estágio na Scholastic Corporation, onde começou a trabalhar na série The Baby-sitters Club. Dezessete anos depois, Levithan ainda está trabalhando para Scholastic como diretor editorial. Levithan é também o editor-fundador do PUSH, uma marca jovem-adulto da Scholastic Press enfocando novas vozes e novos autores.

 

NOTAS

 

ENREDO: 5

PERSONAGENS: 4

DESENVOLVIMENTO E ESCRITA: 5

INÍCIO: 5

MEIO: 4

FIM: 5

 

NOTA FINAL: 4,7 de 5

 

LIVRO BOM PARA: se derreter

 

MINHA RESENHA

 

Iti malia, que livro fofinho!

 

Esse livro é realmente incrível, faz a gente pensar tanto sobre questões tão pesadas, mas de uma maneira tão leve, que fica muito difícil não se apaixonar. O enredo é espetacular por si só: será que o amor consegue realmente sobrepujar as barreiras do gênero e da aparência? Amamos a pessoa pelo que ela é ou a parte física faz parte da equação?

 

Isso me fez pensar bastante. Entendo que o corpo humano ainda é muito animalesco, ele por si só escolhe nossos parceiros, tanto que não é à toa que a primeira impressão conta bastante, mesmo a gente não querendo muito isso. Mas permanecermos com determinada pessoa já fica à cargo da nossa psique, concordam? Essa leitura me fez refletir muito sobre o quanto eu ainda me deixo me levar pela parte física e estética, não só para relacionamentos amorosos, mas para relacionamentos no geral mesmo.

 

Se você deixar, esse livro pode ensinar muito, principalmente a se importar menos com a nossa imagem para as outras pessoas. Um dos motivos de eu não conseguir gostar da Rhiannon. Ela consegue aceitar a coisa mais bizarra do relacionamento dela com A, que é o fato dele estar em um corpo diferente todos os dias, mas fica preocupada demais com o fato de como as pessoas vão vê-la se ela aceitar a condição de A de peito aberto. Acho que isso ainda é um traço de vaidade dela, tanto que ela se sujeitava a um relacionamento bizarro com um garoto que nem ligava para ela, simplesmente com medo do que as pessoas poderiam pensar. Afinal de contas, o cara era bonitinho.

 

Lógico que ninguém precisa ser o "desconstruidão de humanas", mas não consigo aceitar o fato dela cair na história mais estranha de todas, simplesmente porque ela gosta do A, mas não consegue ficar de mão dada com ele quando está em corpo obeso. Entendo realmente quando o A acaba em um corpo de mulher, por exemplo, mas meu ranço começou quando eu percebi que ela se sentia à vontade com pessoas padrão, somente. Isso me irritou bastante.

 

Fora isso, "Todo Dia" foi uma leitura única, que abriu minha visão para o mundo e me fez questionar bastante inúmeros relacionamentos que existem hoje em dia. Com certeza essa leitura me fez uma pessoa mais crítica e agradeço demais por isso.

 

COMPRO, BAIXO, PEGO EMPRESTADO OU PASSO LOTADO?

 

A Record fez uma edição econômica desse livro, então é fácil encontrá-lo por menos de 20 reais, mas esse título em e-book está disponível no Kindle Unlimited. Fica aí a dica. ;-)

 

ONDE COMPRAR

 

Amazon.com

Saraiva.com.br

Americanas.com.br (via Ad.fly)

 

Quer participar do projeto? Então poste uma foto com o seu Todo Dia no Instagram com a hashtag #blog50livros que adorarei ver. E já fez resenha sobre ele no Skoob? Então me envie um email para contato@50livros.com que vou ler com muito amor! ;-)

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Some elements on this page did not load. Refresh your site & try again.

Please reload

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • Google+ - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Pinterest - Black Circle
  • Instagram - Black Circle